Renda Variável

ETFs

Com apenas uma aplicação, você diversifica seus investimentos.

Invista de uma só vez em várias aplicações.

Os ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos negociados na Bolsa de Valores que seguem a composição de um índice, como, por exemplo, o Ibovespa. Isso quer dizer que, investindo em um ETF, o rendimento da sua carteira será idêntico ao índice atrelado a ele.

É fácil escolher um ETF.

Conheça os índices

Informe-se sobre os índices existentes e sobre quais ações fazem parte de cada um, para escolher o ETF que se encaixa em seus objetivos.

Avalie os custos

Confira a rentabilidade dos ETFs e a taxa de administração para que os custos não comprometam seus rendimentos.

Invista em seus sonhos. Aplique em ETFs e aumente suas possibilidades de ganhos.

Principais dúvidas sobre ETFs.
Qual a diferença entre um ETF e um fundo de investimentos?
A principal diferença é a forma de gestão. A gestão dos fundos é, em sua maioria, ativa, com gestores sempre buscando as melhores oportunidades para obter um retorno maior, desde que de acordo com o regulamento. Já os ETFs têm gestão, em geral, passiva, que busca replicar um índice de referência, seguindo seu desempenho e composição.
Os ETFs possuem boa liquidez?
Os ETFs são um tipo de investimento com alta liquidez, comercializados na B3.
ETFs também pagam dividendos?
Os dividendos dos ETFs são indiretos: quando uma Ação que faz parte de um ETF paga dividendos, o valor é incorporado ao patrimônio do fundo. Por isso, não é possível sacar os dividendos de um ETF, somente o valor total da aplicação.
Existem riscos de se investir em ETFs?
Os ETFs são formados por diversos ativos, inclusive Ações. Assim, não é possível saber qual a rentabilidade de um ETF, mesmo que alguns sejam compostos por renda fixa e oscilem menos.
Quais tributos incidem sobre os ETFs?
Para ETFs de renda variável, 15% sobre o ganho de capital, apurado pela diferença positiva entre os valores de venda e os de compra da cota. O recolhimento deve ser feito pelo próprio investidor até o último dia útil do mês seguinte. Em ETFs de renda fixa, a tributação depende do prazo médio da carteira (PMR). Para cálculo de Imposto de Renda, o tributo é cobrado na fonte.