Renda fixa

Tesouro Direto

Emprestar dinheiro para o governo é a forma mais segura de investir.

O Tesouro Direto é simples, seguro e tem o melhor credor: o governo.

O Tesouro Direto faz parte do Programa do Tesouro Nacional do Brasil. Na prática, você compra títulos públicos federais e empresta dinheiro para o governo. No vencimento, você receberá o valor emprestado mais os juros sobre ele. Você também pode vender seu título antes do vencimento (sujeito às condições do mercado da época).

Não é preciso abrir mão da segurança para ter rentabilidade.

Invista com pouco

São diversos tipos de títulos em que você pode investir a partir de R$ 30,00 mensais.

Segurança

É o investimento mais seguro do mercado, pois é 100% atrelado ao risco de crédito do governo.

Dinheiro na mão

Você pode resgatar seu dinheiro a qualquer momento se optar por um título com liquidez diária.

Conheça os tipos e veja como funciona cada título:

Selic

Acompanha a taxa Selic (taxa básica de juros). É o investimento mais seguro do mercado, ideal para fazer uma reserva de emergência.

IPCA+

Rende a variação do IPCA mais uma taxa de juros. É ideal para quem quer manter o poder de compra ao longo dos anos.

Prefixado

Você já sabe o rendimento da aplicação, ou seja, no resgate, receberá exatamente o que foi acordado no momento da compra.

Investir não precisa ser só um plano.
Conte com a Genial e comece agora.

Principais dúvidas sobre Tesouro Direto
Qual a diferença entre títulos públicos e Tesouro Direto?
Na prática, nenhuma, mas, no jargão do mercado, o Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional em parceria com a B3, que tem como objetivo democratizar a compra e a venda de títulos públicos federais por pessoa física pela internet. Já títulos públicos são encontrados diretamente no mercado secundário para negociação direta com outros investidores. Em ambos os casos, você empresta dinheiro para o governo investir na dívida pública para, no futuro, receber o valor acrescido de juros.
Por que o Tesouro Direto é melhor que a poupança?
A rentabilidade da caderneta é de 0,5% ao mês mais a taxa referencial (TR). Sendo que, quando a Selic está abaixo de 8,5%, a remuneração passa a ser 70% da taxa básica de juros. O Tesouro Selic rende 100% da taxa Selic e tem incidência de I.R. Já a poupança rende 30% a menos; e, mesmo sendo isenta de Imposto de Renda, não vale a pena investir nela. Além disso, a caderneta possui um aniversário mensal, ou seja, você precisa deixar seu dinheiro aplicado por, pelo menos, um mês para que renda. Caso contrário, não haverá rendimento. Além de maior rentabilidade, possui liquidez diária e é o investimento mais seguro do mercado.
Quais são os riscos ao investir?
Crédito: é a probabilidade de o emissor do título, o governo, não conseguir pagar suas dívidas, é o risco de o país quebrar. Venda antecipada: se você vender o título antes do vencimento, ele terá um preço de mercado definido de acordo com as flutuações da taxa básica de juros e das perspectivas futuras para ela, ou seja, os preços podem variar.
Como investir no Tesouro Direto e qual o valor mínimo?
É muito simples, bastam três passos e R$ 30,00. Abra sua conta aqui, na Genial, e transfira o valor que deseja investir. Escolha um título e a quantidade. Aguarde o e-mail de confirmação do Tesouro Direto.
Quais os custos para investir no Tesouro Direto?
Taxa de custódia: taxa de 0,20% ao ano cobrada pela B3 sobre o valor dos títulos.Taxas de corretagem: taxa cobrada pelas corretoras, o valor pode variar entre 0,1% e 0,5%. Aqui, na Genial, NÃO cobramos essa taxa! Investimentos em Tesouro Selic são isentos de taxa de custódia até o limite de R$ 10.000,00 em estoque. IOF: é cobrado apenas se for feito o resgate antes do período de 30 dias da aplicação. Imposto de Renda: as alíquotas cobradas seguem a tabela regressiva, ou seja, dependem do tempo de aplicação do dinheiro. Assim, quanto maior o tempo do investimento, menor será a alíquota a ser paga.